Aprenda sobre: Por que comer pipoca faz tão bem para saúde? #radarcarioca

   

aprenda-sobre

Meu inconsciente sempre soube que comer pipoca fazia bem para saúde e desde a adolescência que eu troco lindamente o jantar de quase toda sexta feira por uma bacia de pipoca. Mas pera! Pode comer uma bacia de pipoca e ser saudável??? Bom… não é bem assim, rs.

Estudos mostram grandes benefícios da pipoca pois elas contém fibras, polifenóis, antioxidantes, vitaminas do complexo B, manganês e magnésio. Atualmente há pesquisas que mostram que a pipoca pode conter mais antioxidante e ser mais eficiente ao sistema imunológico do que muitas frutas e hortaliças [calma, não estou falando para ninguém deixar de ingerir outros alimentos, até porque as frutas e vegetais contém outros tipos de nutrientes necessários para o nosso corpo.]

A explicação é que a pipoca possui apenas 4% de água, enquanto que os polifenóis são diluídos nos 90% de água que compõe muitas frutas e verduras. E consumir pipoca em quantidade moderada pode também estar relacionado à perda de peso. Isto porque como ela possui muitas fibras aumentamos o tempo de digestão no estômago levando a uma maior saciedade.
pipoca-4-usei-contei
Nas pesquisas que fiz para este post li que a pipoca, por conter altas doses de polifenóis, antioxidantes que protegem as células do organismo contra os danos causados pelos radicais livres, ela desacelera o envelhecimento e ajuda a prevenir doenças degenerativas [eu disse AJUDA! Não disse que previne.], além de ajudar no funcionamento intestinal por conta das fibras. O consumo de 100 gramas de pipoca por dia pode suprir também 13% do ideal de ingestão diária de polifenóis, mas não é ideal que se consuma pipoca todo dia, apenas algumas vezes na semana, para dar chance à outros alimentos.
pipoca1-usei-contei
Mas não adianta fazer a pipoca lotada de óleos ou manteigas e depois ainda encher de sal. Desta forma ela passa de mocinha à vilã num piscar de olhos. Outra coisa são as pipocas de micro-ondas; algumas são uma delícia, mas ao mesmo tempo um veneno para a saúde devido a grande concentração de gorduras, conservantes e sódio. A pipoca que estamos falando aqui, é aquela boa e velha feita na panela com uma gotinha mínima de óleo; aquela feita na água; ou as feitas em pipoqueira de ar quente.
pipoca-3-usei-contei
Um modo muito utilizado ultimamente para fazer pipoca saudável, é bem simples: utiliza-se sacos de pão [aqueles de papel], com o mesmo princípio dos sacos convencionais de pipoca de micro-ondas. Colocando os grãos de pipoca dentro do saquinho, retirando o ar e fazendo duas dobras para fechar o saquinho de papel. Quando estourar a pipoca, assim que os estouros diminuírem, basta abrir com cuidado por causa do vapor. De preferência para o sal refinado bem fininho para temperar estas pipocas, pois ele adere melhor a pipoca feita sem óleos.
pipocassss
Saiba um pouco mais sobre a Pipoca:
O milho de pipoca é um tipo de semente denominado de ‘grão’, e este grão é considerado integral. Grão integral é uma designação para os grãos que contêm o endosperma (um “tecido” vegetal que se encontra nas sementes), o germe e o farelo. Por isto é semelhante a cereais integrais, como o arroz, que também contêm essas três partes vitais. Quando o milho é aquecido, a pressão interior aumenta, e com isso ocorre a explosão!

 

Curiosidade: Como surgiu a pipoca?
Ninguém sabe ao certo, mas encontrei esta explicação: Os primeiros europeus que chegaram ao continente americano descreveram a pipoca, desconhecida para eles, como um salgado à base de milho usado pelos índios, tanto como alimento quanto como enfeite para o cabelo. Sementes de milho usadas para fazer pipoca foram encontradas também por arqueólogos não só no Peru, como também no atual Estado de Utah, nos EUA, o que sugere que ela fazia parte da alimentação de vários povos americanos. Sabe-se, porém, que inicialmente os índios preparavam a pipoca com a espiga inteira sobre o fogo. Depois, eles passaram a colocar só os grãos sobre as brasas – até inventarem um método mais sofisticado: cozinhar o milho numa panela de barro com areia quente. Mas com o mesmo objetivo: fazer o grão de milho explodir.

E agora, quem vai sair correndo e fazer uma pipoquinha marota para comer???
Vamos ver o que as outras meninas falaram sobre o tema Saúde:

radar-carioca-assinatura
B-jinhus, Clau Speroto
   

Comentários

  1. Eu adoro pipoca, ai Jesus, quase escrevi outra coisa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Pois é, adoro PIPOCA e não sabia que ela fazia bem assim, vou comer mais!

  2. Speroto, demorou, mas olha…que post!
    Completíssimo…amei!!!
    Eu já sabia de algumas coisas sobre pipoca, mas realmente veio muita novidade e explicação que eu nem imaginava!!
    Eu consumo mais pipoca de microondas, confesso que não sei fazer o de panela haha (me agrida), mas realmente, vale a pena, pelo menos 1x por semana, trocar uma alimentação por um balde de pipoca *.*
    Beeeijos e amei o post!
    http://www.crismagaldiblog.com

  3. Amei o post!!! vou comprar minha pipoqueira para ontem!!!!!

  4. Nada como uma boa pipoquinha feita na panela, para mim é a que fica mais gostosa… e a melhor pipoca do mundo são as vendidas dentro dos parques da Disney, são amarelinhas de tanta manteiga! HAHAHA… ou seja, não fazem nadica bem para nossa saúde! >.< Beijos!!!

  5. Como não amar pipoca né?!
    Confesso que sou aquela que come tudo errado! tenho que tentar me policiar e fazer dela uma aliada para minha saúde! Amei o post, já tinha lido em alguns lugares sobre os benefícios, mas vi que possui ainda mais do que eu imaginava.

  6. Eu amo pipoca, sou muiiito fã e não gosto muito das de microondas, nada como uma boa pipoca de panela, né? Amei demais o post e saber mais sobre essa delicinha. O único problema é que amo um sal. rs Beijoss

Deixe seu comentário

*